Cadastre-se
HOME
MODELO
SUPORTE
NOTÍCIAS
EMPRESA
CONTATO
 
CONTROLE
AÇÃO
PLANEJAMENTO
EXECUÇÃO
 
Ciclo CAPD  >  CONTROLE >  C8  Seleção do problema principal
 

É uma ferramenta (desenvolvida por Charles H. Kepner e Benjamin B. Tregoe) de simples aplicação nos “caminhos da qualidade”. Consiste, basicamente, em separar e priorizar problemas para fins de análise e posterior solução. Sua base é fundamentada no seguinte tripé:

“G” –
Gravidade
avaliar as conseqüências negativas que podem trazer para os clientes
“U” –
Urgência
avaliar o tempo necessário ou disponível para corrigir os problemas levantados
“T” –
Tendência
avaliar o comportamento evolutivo (irá melhorar ou piorar) da situação atual

Os problemas identificados são colocados na matriz GUT, para segundos os critérios ser selecionado o principal a ser trabalhado.

As notas são dadas em consenso, e variam de 1 a 5, conforme tabela auxiliar de pontuação.

Após a multiplicação de cada um dos três fatores, o que possuir maior nota será o problema selecionado.

Na ilustração 1 é apresentado um exemplo de preenchimento da Matriz, com o problema 2 sendo o selecionado.

PROBLEMAS
GRAVIDADE
URGÊNCIA
TENDÊNCIA
G x U x T
COLOCAÇÃO
1. Tempo excessivo na digitação
4
5
3
60
2
2. Alto índice de devolução de histórico
5
5
4
100
1
3. Controle de pagamento do boleto
2
3
3
18
4
4. Tempo excessivo para assinatura de diplomas
3
3
3
27
3

Ilustração 1 - Exemplo de seleção de problema na Matriz GUT.

TABELA AUXILIAR DE PONTUAÇÃO

VALOR
GRAVIDADE – G
URGÊNCIA – U
TENDÊNCIA – T
5
Os prejuízos ou dificuldades são extremamente graves.
É necessária uma ação imediata.
Se nada for feito a situação irá piorar rapidamente.
O dano é extremamente importante?
Tenho que tomar uma ação bastante urgente?
Se não fizer nada, a situação vai piorar muito?
4
Muito graves.
Com alguma urgência.
Vai piorar a curto prazo.
O dano é muito importante?
Tenho que tomar uma ação urgente?
Se não fizer nada, a situação vai piorar?
3
Graves.
O mais cedo possível.
Vai piorar a médio prazo.
O dano é importante?
Tenho que tomar uma ação relativamente urgente?
Se não fizer nada, a situação vai permanecer?
2
Pouco graves.
Pode esperar um pouco.
Vai piorar a longo prazo.
O dano é relativamente importante?
Posso aguardar?
Se não fizer nada, a situação vai melhorar?
1
Sem gravidade.
Não tem pressa.
Não vai piorar, podendo até melhorar.
O dano é pouco importante?
Não há pressa?
Se não fizer nada, a situação vai melhorar muito?
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Planejamento estratégico – conceitos, metodologias e práticas. São Paulo: Atlas, 1992.
KEPNER, Charles H.; TREGOE, Benjamin B. O administrador racional. São Paulo: Atlas, 1981. pg.58.
COLENGHI, V.M. O&M e qualidade total: uma integração. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1997.
 

COPYRIGHT © 2007 Processo Consultoria Ltda.
web design MARCOS CARLSON
PROCESSO Consultoria